bushmen calaari andando tribo africana

CONTEÚDO VIP

A dança exige controle do movimento, ritmo e sincronia através da música. Isso só pode ser obtido através de muito treinamento o que requer tempo. As crianças são incluídas em rituais de dança desde cedo sendo incentivadas a dançar e cantar. Quanto maior o envolvimento com o grupo melhor a qualidade da sincronia do grupo na dança, no canto e na música.

Obviamente, se a dança e a música são sinais da qualidade da aliança do grupo é possível considerar que a dança e a música também podem gerar a cooperação. Possivelmente, a cooperação ocorre pela via da música e da dança, mas não é possível afirmar que estas atividades têm a função evolutiva de produzir cooperação. Desta maneira, a dança e a música não possuem a função evolutiva de provocar a aliança, mas sim, sinalizar a qualidade da aliança.

A dança pode ser utilizada com outros objetivos específicos. Por exemplo, demonstrar beleza, como ritual de passagem ou casamento, para celebrações ou festividades, para funções espirituais, para demonstrar força ou para encontrar outra tribo aliada. Estas funções específicas da dança variam de acordo com as tribos e cultura. Porém, pela perspectiva evolucionista todas as funções específicas parecem compartilhar este traço comum: todas possuem função de sinalizar a qualidade da aliança.

A hipótese da sinalização de qualidade da aliança fornece uma perspectiva do grupo. Hagen e Bryant (2003) afirmam que performances em grupo são sinais de interesses coletivos. Isso é definitivamente importante para a evolução do homem do ponto de vista da sobrevivência. A cooperação exerce importante papel na proteção do grupo e aumenta a chance de sobrevivência individual.

Além disso, a música e a dança podem comunicar a emoção do grupo. Ou seja, se é um ritual de festividade a emoção transmitida será alegria e contentamento. Enquanto que se o ritual for de sepultamento a dança poderá transmitir tristeza. Isso permite que uma função importante da dança em termos de cooperação seja a comunicação. Este artigo influenciou a produção de muitos artigos científicos em relação a música, porém, em relação a dança ainda há muito a investir.

“Os humanos são aparentemente únicos em sua capacidade de formar relacionamentos intergrupais próximos e altamente cooperativos na ausência de vínculos consanguíneos” (Hagen & Bryant, 2003, p.22, tradução livre). A falta de vínculos consanguíneos pode ser suprida em sociedades por rituais para que as tribos tenham indivíduos cooperativos e socialmente interessados.

A dança toré em sociedades tradicionais brasileiras

“A dança do toré apresenta variações de ritmos e toadas dependendo de cada povo. O maracá – chocalho indígena feito de uma cabaça seca, sem miolo, na qual se colocam pedras ou sementes – marca o tom das pisadas e os índios dançam, em geral, ao ar livre e em círculos. O ritual do toré  é considerado o símbolo maior de resistência e união entre os índios do Nordestebrasileiro” (Gaspar, 2011). É possível conferir vídeo de senhoras dançando o tradicional toré e relatando sua experiência pessoal com a dança (TV CASA GRANDE, 2013).

Bushmen no deserto Calaari – Africa

Os bushmen do deserto Calaari já foram temas de muitos filmes e documentários por fazerem parte das tribos mais antigas do mundo ainda existentes localizadas no deserto Calaari na África (em especial em Botsuana). Nestas tribos também há danças tradicionais e em vídeo é possível vê-los batendo palmas, cantando e incluindo as crianças nos rituais (Apelian, 2015). 
A dança está presente em sociedades antigas em momentos rituais e de celebração. A dança possivelmente foi utilizada pelo homem ao longo de milhões de anos como canal de sinalizar vínculos e cooperação. 

REFERÊNCIAS:

Hagen, E. H., & Bryant, G. A. (2003). Music and dance as a coalition signaling system. Human nature, 14(1), 21-51.

Gaspar, L., (2011, maio 25).  Danças indígenas do Brasil, Fundação Joaquim Nabuco. [Site]. Recuperado de: http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/

TV CASA GRANDE, (2013 agosto 5). Dança do Toré [YouTube]. Recuperado de: https://www.youtube.com/watch?v=PpS6Wz-ojac

Apelian, N., (2015, abril 11). Kalahari San Bushmen Dancing [YouTube]. Recuperado de: https://www.youtube.com/watch?v=R9m2CeE7ycY


COMO FAZER REFERÊNCIA A ESTE ARTIGO:


Lopes, M. C. (2018, junho 08). A função da música e da dança: uma perspectiva da psicologia evolucionista [Blog]. Recuperado de: http://www.mariacristinalopes.com/a-fun--o-da-m-sica-e-da-dan-a--uma-perspectiva-da-psicologia-evolucionista.html

Inscreva-se e receba o e-book

"Vínculo em aulas de dança"!

Maria Cristina Lopes. Sou formada pela PUC-Rio e mestranda pela Universidade de Coimbra. Trabalho com a dança desde 2013 e desenvolvi o 1º curso de psicologia da dança do Brasil em 2016. Sou defensora da área de psicologia da dança, atendo bailarinos, ofereço consultoria para escolas e companhias e capacito professores e psicólogos nesta área promissora.

Contatos: mariacristinalopes@gmail.com | 21 99305 3432 

É senso comum que a dança existe há muitos milhares de anos. É interessante notar suas funções em rituais religiosos, de caça ou em rituais de passagem. Porém, uma pergunta que pode trazer valiosas respostas é negligenciada. Esta pergunta é: “de que forma a dança teve importância na evolução e de que maneira moldou o ser humano?”. Dito de outra maneira: “como a dança nos ajudou a chegar até aqui?”.

Estudo da área de psicologia evolucionista (Hagen & Bryant, 2003) lança luz sobre as funções da música e da dança para a evolução do homem. Os autores sugerem que a música e a dança funcionaram ao longo da evolução humana como um sistema de sinalização de aliança. A aliança não se refere a uma simples reunião de pessoas, mas sim, uma aliança de cooperação. Portanto, a dança e a música indicam a qualidade da aliança formada. 

A função da música e da dança:

uma perspectiva da psicologia evolucionista