Como não acabar com a dieta no final de semana?

Chega o final de semana e muitas pessoas sentem medo de se afastar de seus objetivos. Quando saem um pouco da dieta a culpa acaba tomando conta e no fim saem ainda mais da dieta devido a culpa. Parece um ciclo sem fim. Existem alguns pensamentos que levam as pessoas a sair da dieta. Abaixo você confere o tipo de pensamento mais comum nos grandes deslizes do final de semana. 


- Pensamento tudo ou nada.

Um tipo de pensamento disfuncional muito comum é o pensamento “tudo ou nada”, “8/80” ou como quiser chamar. É quando pensamos que já que não está tudo perfeito então não vale nada. Vemos apenas as coisas como perfeitas ou horríveis. Valorizamos apenas o que está 100% de acordo com as nossas expectativas. O problema deste pensamento é que paralisa o nosso comportamento. O momento nunca é perfeito e acabamos não nos comprometendo com nossos objetivos.

Maria Cristina Lopes. Psicóloga do emagrecimento. Ajuda pessoas a utilizar suas próprias capacidades para aumentar seu bem estar, se desenvolver, atingir objetivos e ter mais qualidade de vida! ​Alcança mais de 30 mil pessoas nas redes sociais com conteúdos e postagens motivadoras. 

Em relação aos finais de semana a ideia é a mesma. Acabamos deslizando em um almoço com a família, em um café da manhã fora de casa e o que passa pela nossa cabeça é “já saí da dieta um pouco, não vale mais a pena” ou seja “se não foi 100%, não vale nada”. Se conseguirmos nos comprometer 80% com a dieta no final de semana, às vezes um pensamento “tudo ou nada” passa pela nossa cabeça desvalorizando tudo o que foi conquistado e fazendo com que a gente desista de absolutamente tudo. E o que fazer para modificar esta situação semanal? Bom, existem várias estratégias, mas algumas você pode começar agora mesmo.

1 – Valorize os pontos positivos. Se você conseguiu fazer uma refeição adequada seguida ao deslize valorize isso. Quanto mais pensamos valorizando os pontos negativos mais atenção é dada a eles e mais forte ele fica em nossa memória. Construa memórias positivas para desvalorizar o pensamento “tudo ou nada”. 


2 – Busque soluções. Não foque no perfeito: afinal, existe algo na vida que seja perfeito? É mais fácil e realista pensar em melhorar e não pensar em ser perfeito.

3 – Faça uma escala de adequação à dieta. De 0 a 100. É mais fácil não termos pensamentos tudo ou nada (0/100) se quantificarmos nosso comportamento em uma escala. Assim, se nossa refeição fica no nível 50 na escala de adequação, não temos possibilidade de pensarmos “foi simplesmente horrível” e nos deparamos com o fato de que conseguimos sim realizar algo. Assim, não desistimos completamente da dieta durante o final de semana.