"Mudança": esta palavra que já tem dança no meio. E não por acaso, assim como a dança, envolve movimento. Envolve sair de um ponto onde estávamos e explorar novos espaços e possibilidades. Com o final do ano se aproximando, é muito provável que você bailarino ou bailarina, já tenha se perguntado ou até mesmo observado o que você precisa mudar para 2018.

Será que você tem focado na técnica? Naquele passo que ainda precisa aperfeiçoar ou em uma habilidade que precisa adquirir. Ou então existe algum desafio que você vem procrastinando enfrentar há muito tempo e sente que não pode mais adiar? Talvez, participar de concursos e competições e encarar grandes palcos...

Mudanças

Seja qual for a mudança que você procura, esta reflexão é muito positiva, pois como bons bailarinos, movimentar-se é preciso. Mas, o grande segredo é que vida e palco, pessoa e bailarino, psicológico e desempenho, são aspectos entrelaçados que se influenciam mutuamente. Assim, é necessário que bailarinos não deixem de dar atenção ao que precisam mudar no primeiro aspecto – sua saúde emocional, seu desenvolvimento pessoal, suas crenças – para que os reflexos dessas mudanças aconteçam, enfim, na dança.

Por trás de cada bailarino, suando na sala de aula ou brilhando em cima do palco, existe um ser humano. Isto pode parecer óbvio, mas, muitas vezes, o foco na perfeição da dança e do bailarino acaba por priorizar aspectos técnicos ou profissionais, sem se dar conta que esses aspectos não se encerram neles próprios, mas têm em sua raiz questões humanas, comportamento humano.

O que te impede de enfrentar grandes desafios, grandes palcos? Por que você sofre e se cobra tanto por não executar perfeitamente um determinado movimento? Quais são as crenças e padrões comportamentais que te limitam? Quais as funções por trás deles? Qual a sua história?

É quando o bailarino começa a se fazer essas perguntas, que se aproxima das respostas que o levam à raiz de toda questão. Mudanças precisam ser feitas nas contingências da vida, escolas e meio, para que, então, sejam vivenciadas na dança. E proporcionem uma bela MUDANÇA!

Talvez, o caminho seja longo, mas já podemos começar...A minha pergunta para você hoje, então, é: O que você vai fazer pela sua saúde emocional e desenvolvimento pessoal em 2018? O que precisa de fato mudar além das aparências?

Cuide-se e conte com a Psicologia da Dança nessa jornada de autoconhecimento e mudança de comportamento.

Feliz 2018!!! 
Feliz Mudança!

Giovanna Xavier. Psicóloga Mestre, bailarina e professora de dança do ventre. giovannaxavierpsicologa@hotmail.com \ +55 67 981765572