Por que aprender a pensar magro?

Você sabe por que aprender a pensar magro? Talvez você já tenha me ouvido falar que o "emagrecimento começa por dentro". Mas... você já parou para pensar no significado desta frase? Se o emagrecimento começa por dentro, isso significa dizer que uma das causas do sobrepeso e da obesidade é psíquica. Isso talvez soe incorreto a princípio. Afinal, quem engorda é por que está comendo mais ou de forma inadequada, ou talvez não esteja praticando atividades física. Correto? Sim, isso também está correto.


Mas o que não percebemos é o quanto que nossa mente comanda o nosso comportamento de comer e de inatividade física.      


Em nossa mente passam inúmeros pensamentos diariamente. São interpretações de nós mesmos, das situações, das pessoas e do mundo. E tudo isso irá influenciar nossas emoções e nosso comportamento. Você já percebeu que quando está triste, com tédio ou estressado acaba comendo mais que o normal? Ou talvez sinta uma vontade muito forte de comer doces? 


Enfim, estes são apenas exemplos de como nosso comportamento é regido pela nossa atividade mental. Também quando não desejamos ir à academia aparecem inúmeros pensamentos que nos permitem não ir. Seja a chuva, o estresse, a nova dieta... não importa! Novamente, nossa cabeça está no controle.


A questão é que, em geral, interpretamos o ato de comer como algo que alivia nosso estresse emocional. E além disso o interpretamos também como uma injeção de prazer. Afinal, o alimento, de fato é muito prazeroso. Dessa forma, quando estamos com emoções e pensamentos negativos buscamos sempre ela: a comida! 

Obviamente, isso não é saudável para o nosso corpo nem para nossa mente. Em geral, sempre que um comportamento como o citado acima ocorre é repleto de sensações muito boas, provocadas pelo alimento. Porém, logo depois vem uma sensação fisiológica ruim, a de estar cheio, acompanhada por um sentimento de culpa e pensamentos ruins em relação a si mesmo.


Não raro, as pessoas pensam se tratar de algo incurável, que "não tem jeito" e por fim chegam a conclusão de que "sou assim mesmo, um caso incurável, fazer o quê?". Mas a verdade é que nada é mais natural para o ser humano que buscar sensações boas - como a que é provocada pela comida. Porém, isso se torna patológico quando procuramos apenas comer quando buscamos esse prazer.


Mas é compreensível que seja desta forma, afinal, o alimento está sempre disponível para nós. Diferente, por exemplo, de amigos, parentes, ou outros. Porém, isso se volta contra nós: nos tornamos escravos da comida! Não buscamos mais outras opções. Mesmo nosso cérebro fica refém e se altera devido a estes pensamentos e comportamentos: alteram-se memória, atenção, percepção da satisfação fisiológica, etc. Aprender a pensar magro é ir diretamente na causa da obesidade e do sobrepeso. É também não ser mais escravo da comida. É readaptar o cérebro. É modificar corpo e mente.

Maria Cristina Lopes. Psicóloga do emagrecimento. Ajuda pessoas a utilizar suas próprias capacidades para aumentar seu bem estar, se desenvolver, atingir objetivos e ter mais qualidade de vida! ​Alcança mais de 30 mil pessoas nas redes sociais com conteúdos e postagens motivadoras.