1 - Melhorar o rendimento e desempenho dos seus alunos

A mente é tão importante quanto o corpo na arte da dança - e entender o que os alunos pensam a respeito de si mesmos e dos colegas, bem como se desenvolve a dinâmica social com o grupo e também suas famílias pode ajudar a mensurar o impacto dessas questões no desempenho e rendimento dos alunos. 

A psicologia da dança ajuda o professor a compreender de que maneira questões externas e internas do indivíduo influenciam em sua dança, e a trabalhar para resolver possíveis problemas e explorar potencialidades em cada um. Trabalhar pensamentos negativos e disfuncionais e aprender lidar com a ansiedade pré-palco dos alunos, por exemplo, são alguns dos benefícios que podem advir do estudo da psicologia da dança.

2 - Lidar com diferentes grupos de pessoas

O desenvolvimento humano tem características específicas em cada faixa etária. A forma de aprender, os interesses e os objetivos sofrem mudanças ao longo da vida, e estar pronto para lidar com os aspectos de cada fase pode ajudar os professores a direcionarem suas aulas e a se relacionarem com os alunos. Afinal, uma turma de crianças e uma turma de idosos são grupos completamente diferentes, e o conhecimento físico e técnico não é suficiente para compreender as potencialidades e limitações de cada uma delas.


O mesmo vale para a dança aplicada como terapia para condições, doenças e transtornos. Para trabalhar com indivíduos que sofrem do mal de Parkinson, por exemplo, ou autismo, é necessário um conhecimento profundo das condições físicas e mentais dos alunos, a fim de adaptar as técnicas às suas necessidades. 

3 - Compreender o processo de aprendizagem e assumir um papel ativo

Descobrir a melhor forma de transmitir um conhecimento para os alunos e promover o aprendizado é um grande desafio para qualquer professor. Conhecer as principais teorias de aprendizagem e desenvolver dinâmicas e estratégias de aula que favoreçam o conhecimento, de acordo com as especificidades de cada aluno, é um dos benefícios do estudo da psicologia da dança, que bebe da fonte de diversos teóricos para mesclar dança e aprendizado. 

Compreender o processo de aprendizagem dos alunos ajuda a organizar as aulas, identificar o quanto de auxílio cada um deles necessita, o tempo de maturação de cada técnica e a motivar os alunos, tornando as aulas mais produtivas e interessantes.

CONTEÚDO VIP

Professor de dança: 5 razões pelas quais a psicologia pode ajudar a ensinar melhor

mulher de preto dançando feliz

Maria Cristina Lopes. Sou formada pela PUC-Rio e mestre pela Universidade de Coimbra. Trabalho com a dança desde 2013 e desenvolvi o 1º curso de psicologia da dança do Brasil em 2016. Sou defensora da área de psicologia da dança, atendo bailarinos, ofereço consultoria para escolas e companhias e capacito professores e psicólogos nesta área promissora.

Contatos: mariacristinalopes@gmail.com | 21 99305 3432 

mulher de preto dançando feliz

4 - Adaptar suas aulas para contextos específicos

Nem todos os alunos estão em busca de técnica - em geral, a especialidade do professor de dança. Em companhias de dança, o foco principal pode ser esse, mas em academias, escolas, comunidades, organizações sociais e outros contextos, a socialização, a diversão, o cuidado com a saúde e outros elementos podem estar entre os objetivos principais dos alunos de dança. Saber identificar esses objetivos é a melhor forma de orientar as aulas e adaptar o conhecimento técnico a cada contexto específico.

5 - Entender o impacto da dança na vida e na saúde dos seus alunos

Diversos estudos comprovam os benefícios da dança para a saúde. Sivvas et. al. (2015) defendem que todas as modalidades de dança têm impacto positivo na saúde de pessoas de todas as idades e todos os gêneros. Os benefícios são físicos e também mentais: memorização, atenção, equilíbrio, coordenação motora, redução de estresse, entre diversos outros. Diversas doenças e condições, como depressão, ansiedade, Parkinson e autismo também podem contar com a dança como terapia complementar. 

Porém, principalmente em ambientes em que a dança assume um caráter profissional, a competitividade, cobranças, o estresse e outros fatores podem contribuir para o desenvolvimento de transtornos alimentares, depressão, ansiedade, perfeccionismo e outros problemas. Entender exatamente como diversos aspectos do universo da dança podem impactar a vida de quem a pratica, positiva e negativamente, é a melhor forma de orientar os profissionais a adotar as melhores práticas na relação com os alunos, a fim de criar um ambiente saudável ao seu desenvolvimento.


REFERÊNCIAS:


Lopes, M.C. (2019). Curso psicologia da dança: temas e perspectivas. Editora Garcia. Juíz de Fora, MG

COMO FAZER REFERÊNCIA A ESTE ARTIGO:


Lopes, M. C. (2020, janeiro 09). Professor de dança: 5 razões pelas quais a psicologia pode ajudar a ensinar melhor [Blog]. Recuperado de: http://www.mariacristinalopes.com/professor-de-dan-a--5-raz-es-pelas-quais-a-psicologia-pode-ajudar-a-ensinar-melhor---psicologia-da-dan-a.html

Gabriela Romão. Jornalista formada pela Universidade de São Paulo (USP), é especializada em escrita científica. Estuda dança desde 2016, com ênfase em modalidades de dança de salão.

Contatos: gabi.r.romao@gmail.com | @romaogabriela

A psicologia da dança é uma área de estudo relativamente recente. Os primeiros estudos remontam a segunda metade do século XX e envolveram principalmente a dança terapia, uma prática que tem por objetivo usar o movimento como terapia para tratamento de alguma questão específica, com foco na saúde e questões psicológicas do indivíduo.

No entanto, a psicologia da dança hoje não se volta apenas para o efeito da dança na saúde e no bem estar dos indivíduos. Ela pode ser uma grande aliada para a compreensão do desenvolvimento humano e dos processos de aprendizagem dos alunos, para observação das emoções e o impacto de questões psicológicas no rendimento dos bailarinos, além do entendimento das relações que se constroem no ambiente da dança, incluindo e interligando instituições, professores, coreógrafos e alunos.

No universo da dança, o professor costuma ser o principal mediador do processo de aprendizagem dos dançarinos, tendo um papel fundamental para o seu desenvolvimento. Se você é professor, confira a seguir cinco benefícios de aprimorar seus conhecimentos na área da psicologia da dança.

Inscreva-se e receba o e-book

"Vínculo em aulas de dança"!